Novembro azulBanner ACVOasisbrManifesto

Sala de Imprensa

Pesquisador do IBICT dirige filme que aborda o desperdício de alimentos

Pesquisador do IBICT dirige filme que aborda o desperdício de alimentos

Camila Nogueira e Lucas Gayoso

 

As discussões sobre os impactos ambientais e econômicos resultantes da perda e do desperdício de alimentos têm despertado cada vez mais o interesse da sociedade. Entretanto, há ainda um longo caminho a se percorrer para que tais impactos diminuam, como por exemplo, a mudança de hábitos em todo o ciclo de vida do alimento.

Mas quais seriam estes hábitos? O que significa, em termos de impactos ambientais, econômicos e sociais, a perda e o desperdício de alimentos? Para responder esta e outras questões e aprofundar o debate sobre o tema, Lucas Gayoso, pesquisador do Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT) e cientista ambiental pela UnB, e Camila Nogueira, também cientista ambiental, produziram e dirigiram o documentário Quanto Vale 1/3? (assista ao vídeo), resultado do trabalho de conclusão de curso da dupla, em 2016.

Atualmente, Lucas atua no IBICT como pesquisador assistente com foco na produção de estudos referentes à Avaliação de Ciclo de Vida de produtos e serviços, dentro da Coordenação de Tecnologias Aplicadas a Novos Produtos do Instituto.

O título do vídeo é uma alusão ao resultado de uma pesquisa realizada pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) em 2014, que revela que 1/3 dos alimentos produzidos anualmente no mundo são perdidos devido ao desperdício.

A escolha de apresentar um filme, além da entrega da monografia, teve um objetivo específico: atingir um número maior de pessoas a partir do poder de transformação que existe dentro de um conteúdo audiovisual bem estruturado. “Reconhecemos a importância do trabalho monográfico, pois ele faz parte da metodologia científica de produção de conhecimento. No entanto, queríamos mostrar para um público leigo esta problemática por meio de uma mídia com alcance para além da academia. E acho que conseguimos”, afirma Lucas, que também é o narrador do documentário.

Ao longo do filme, são relatados pontos de vistas de diferentes agentes da cadeia produtiva de alimentos, como produtores rurais, especialistas, transportadores, professores, vendedores e consumidores, a fim de procurar entender como se dá o desperdício em cada etapa e quais seriam ações possíveis para evitá-lo. “Por ser um documentário científico é importante, no audiovisual, apresentar várias visões para que o telespectador tire suas próprias conclusões diante do que é exposto”, explica Camila.

Uma das estratégias apontadas por estudiosos do desenvolvimento sustentável e apresentada no documentário como um novo modelo a seguir seria o que contempla os “Oito Rs” da sustentabilidade: 1. Reduzir o consumo em geral, e com isso a produção; 2. Reciclar os produtos existentes para dispensar a produção de novos; 3. Reutilizar o que já existe de forma inteligente; 4. Reavaliar consumos, hábitos e procedimentos. 5. Reconceituar a nossa vida e relações para uma direção mais saudável; 6. Reestruturar, as estruturas e instituições aos novos objetivos de uma sociedade convival; 7. Redistribuir melhor os bens existentes e produzidos; 8. Relocalizar a produção, o trabalho e a moradia para aumentar a eficiência da distribuição dos produtos.

Quanto Vale 1/3? ganhou visibilidade na imprensa e foi selecionado para a oitava edição do Circuito Tela Verde – Mostra Nacional de Produção Audiovisual Independente, uma iniciativa do Ministério do Meio Ambiente em parceria com o Ministério da Cultura, que reúne vídeos com conteúdo socioambiental para serem exibidos no Brasil e no exterior.

 

Lucas Guedes
Coordenação de Tecnologias Aplicadas a Novos Produtos/IBICT

Créditos da imagem: Beto Monteiro/Secom Unb

Data da Notícia: 05/06/2017 15:40